sexta-feira, 24 de junho de 2011

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Cinema


Mostra no Rio faz retrospectiva da obra de Hitchcock

Evento no CCBB carioca terá exibição de 59 filmes do cineasta britânico.
Mostra apresentará 127 especiais de TV dirigidos pelo mestre do suspense.

Do G1, em São Paulo
"Psicose": Janet Leigh em uma das cenas mais famosas do cinema.  (Foto: Divulgação)"Psicose": Janet Leigh em uma das cenas mais
famosas do cinema. (Foto: Divulgação
)
Uma mostra no Rio de Janeiro apresentará 59 filmes do cineasta britânico Alfred Hitchcock, a partir da próxima quarta-feira (1). "Hitchcock" ficará em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil, no Centro, até 14 de julho.
A mostra exibirá clássicos do mestre do suspense como "Psicose" (1960), "Um corpo que cai" (1958), "Os pássaros" (1963), "Janela indiscreta" (1958), "Intriga internacional" (1959), entre outros. Além dos filmes, "Hitchcock" também contará com 127 episódios de especiais para a TV dirigidos pelo cineasta.
James Stewart e Kim Novak em cena de "Um corpo de cai".  (Foto: Divulgação)James Stewart e Kim Novak em "Um corpo de cai". Produção de 1968 é destaque da mostra. (Foto: Divulgação)
Além da exibição das produções do cineasta, o evento também terá cursos e palestras que vão debater a obra de Hitchcock. Confira a programação completa no site oficial da mostra.
Também está prevista a passagem da mostra por São Paulo, em 15 de junho.
"Hitchcock"

Quando: de 1 de junho a 14 de junho
Onde: CCBB - Rua Primeiro de Março 66, Centro, Rio de Janeiro
Ingressos: R$ 10, com direito a meia-entrada (as senhas devem ser retiradas com 1h de atencedência de cada sessão.
Informações: (21) 3808-2020

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Visibilidade Internacional

O Centro Cultural A História Que Eu Conto teve a honra de participar do Documentário "União Brasil". O Documentário tem como objetivo dar visibilidade aos Projetos conduzidos por jovens e que são apoiados pela União Européia no Brasil. 
Um desses Projetos é o Acesso á Justiça e a Cultura de Direitos realizado pela FASE (Federação de Órgão para Assistência Social e Educacional) em parceria com três Comunidades do Rio de Janeiro, Vila Aliança (Centro Cultural A História Que Eu Conto), Manguinhos (Rede CCAP) e Complexo do Alemão (Raízes em Movimento). 
O projeto que foi desenvolvido no período de 2009/2011, proporcionou uma grande interação entre jovens, gerando discussões sobre cidadania, exigibilidade de direitos, pertencimento, sobretudo, a grande importância da juventude no redirecionamentos da nossa sociedade.

Abaixo: Encontros de Formação no Centro Cultural A História Que Eu Conto.


Encontro de Formação


Diálogos sobre Exigibilidade de Direitos.

Confira a reportagem feita em Vila Aliança pela Produtora Ah, Lá , em parceria com a  DELBRA (Delegação da União Européia no Brasil).

O documentário

País do futuro ou o futuro do país? O Brasil, 8° economia do mundo e sede da próxima Copa do Mundo e das Olimpíadas, vive a eterna sensação de que vai ser o futuro, mas continua enfrentando seus abismos sociais. A São Paulo dividida entre o mundo rico dos Jardins e os grupos excluídos da Zona Leste. O morro do Alemão e a praia de Copacabana. O universo nordestino da Bahia, Pernambuco, Ceará e Piauí. O Xingu e a resistência da cultura indígena frente à modernização destruidora de florestas.

Produzido pela Ah,Lá!, em parceria com a Delbra (Delegação da União Européia no Brasil), o documentário UniãoBrasil retrata o funcionamento de projetos de Atores Não Estatais e Direitos Humanos em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Ceará, Piauí e Mato Grosso, além de um olhar humanista dos problemas sociais brasileiros sob a ótica de uma equipe formada por brasileiros multiculturais.


O Jovem Rafael Góes instrutor de  Dança de Salão
Contando histórias 

“To sem freio, to sem freio. Bonde Sacolão sem freio. To to to to sem freio.”. Em uma das ruas de terra de Nova Aliança, Zona Oeste do Rio, um senhor negro, pouco cabelo e muita descontração dirige uma Kombi branca, repleta de verduras e legumes. Fazendo paródia com o Bonde do Flamengo, ele atravessa a comunidade, com cerca de 50 mil habitantes, fazendo propaganda de seus produtos, improvisando um auto-falante com um pedaço de telefone, fios e uma caixa pequena de som.

A poucos metros dali, em uma antiga escola abandonada por conta dos confrontos armados no bairro, floresceu o centro cultura A História que Eu Conto, fundado em 2008, idealizado por Jeferson Cora, Binho e Samuca, três amigos que precisaram antes da fundação do Centro, driblar a descrédito dos moradores. “Quase ninguém acreditava que fosse dar certo um centro cultural aqui em Nova Aliança. Nunca tivemos uma experiência como essa na comunidade. A gente era chamado de louco” revela Jeferson, estudante de cinema.

Samuca, diminutivo de Samuel, ex-presidiário e ex-assaltante, hoje se dedica ao skate e a mostrar para os jovens um caminho bem menos espinhoso que a sua trajetória. No centro cultural, que oferece cursos de grafite, teatro, dança, além de uma oficina de costura, uma biblioteca e uma pista de skate, mais de 600 pessoas já se beneficiaram com a invasão artística que tomou conta daquele lugar.

Dentro de uma sala escura, com janelas pintadas de marrom, duas cortinas vermelhas e uma arara cheia de fantasias montam o cenário das oficinas de teatro ministradas por Fernando Pereira, 20, e Cíntia Guimarães, 24. Ao invés de Shakespeare e o ser ou não ser, o dia-a-dia da favela retratado por meio de cenas que os próprios alunos do curso, com idade entre 7 e 29 anos, ajudam a elaborar.

É dessa maneira que Fernando e Cíntia acreditam que uma transformação pode acontecer. “Trabalhar com arte modifica o ambiente em que você vive. Aqui nas oficinas, nós trabalhamos o humano, em uma linha mais voltada para o teatro pedagógico e o teatro do Oprimido, do Augusto Boal. Esses jovens convivem com a violência, as drogas e nós os ajudamos a trabalhar as angustias, os medos e as situações que eles enfrentam. Assim, cada um pode contar a sua história com a sua visão de mundo”.


Elcio C. Padovez

Acesse:




sexta-feira, 6 de maio de 2011

Vila Aliança Memórias em Cinco Minutos



Vila Aliança - Memórias em Cinco Minutos entra na máquina do tempo para narrar o surgimento do 1° Conjunto Habitacional da América Latina, fruto do Processo de Remoções da década de 60. Trazendo suas Raízes, a solidariedade, a contribuição dos moradores para o avanço da Vila Aliança, situada em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro, sobretudo, como as mudanças daquela época influenciaram nos nossos tempos atuais.

Este Filme é resultado da Oficina de Vídeo do Recine que acontecem no Arquivo Nacional (RJ). Através das aulas tive meu primeiro contato com o maravilhoso Universo do Cinema, me apaixonei e é com grande prazer compartilho com vocês.
Com certeza esse é o primeiro de muitos!!

Centro Cultural A História Que Eu Conto